O Ministro do Desenvolvimento Regional Gustavo Canuto visitou o Projeto Jaíba, nesta sexta-feira, 13 de setembro, em companhia do Presidente da Codevasf, Marcelo Moreira, do Diretor de Irrigação da Codevasf Napoleão Casado, dos Deputados Federais Rodrigo de Castro e Marcelo Freitas, dos Estaduais Tadeuzinho e Zé Reis, Prefeitos da região e autoridades locais, sendo recepcionados pelo Prefeito Reginaldo Silva.

O Ministro inaugurou o Sistema de Bombeamento Flutuante, que impede a interrupção do abastecimento dos canais de irrigação em situações criticas do Rio São Francisco, que teve investimentos de 11 milhões de reais. No evento foram apresentadas pautas de interesse do Projeto e do produtor, como o desassoreamento do canal de chamada, questões ambientais e cobranças do Governo do Estado de Minas, pedindo a aceleração da Regularização Fundiária dos lotes agrícolas.

Gustavo Canuto, disse que o Jaíba impressiona por si só, e que vem aqui para conhecer, buscar integrar, viabilizar e tornar o Projeto auto-sustentável, com ações governamentais e a busca de investimentos da iniciativa privada. O Prefeito Reginaldo Silva classificou o Projeto Jaíba como uma “benção”, mas precisa fazer com que ele cumpra com a sua vocação, de produzir alimentos, gerar renda e promover o desenvolvimento regional e que, a vinda do Ministro sinaliza a retomada do desenvolvimento

 

 

Comunicado

Recentemente a Biogeoenergy foi alvo de uma operação coordenada pela Polícia Civil da Bahia que investiga a quebra de contrato da empresa Hempcare, que vendeu 300 Ventiladores Pulmonar (Respiradores) para o Consórcio do Nordeste, em um contrato de R$ 48 milhões e supostamente não teria entregue os equipamentos.


Diante deste fato, a Biogeoenergy precisa esclarecer alguns pontos:

A Biogeoenergy não tem e nunca teve contrato firmado com o Consórcio do Nordeste. Nossa empresa desenvolveu um ventilador pulmonar de última geração, único no Brasil, feito atendendo a todas as especificações da Anvisa. Chamado de Respira Brasil, o equipamento passou em todos os testes a que foi submetido e aguarda apenas a autorização do órgão federal para que a produção comece.
É importante destacar aqui que a Hempcare é a única responsável pelo cumprimento ou descumprimento do contrato com o Consórcio do Nordeste uma vez que ela foi quem fechou o negócio com a promessa de entregar equipamentos importados da China. A Biogeoenergy foi procurada posteriormente pela empresa paulista quando esta não conseguiu concretizar a importação.
Nesse momento a Biogeoenergy se comprometeu a vender os respiradores para a Hempcare. O destino desses equipamentos é uma decisão da empresa e não nossa. A Hempcare sempre esteve ciente de nossa situação e do tempo que seria necessário para que os trâmites burocráticos com a Anvisa fossem vencidos para o início da produção e posteriormente a entrega dos aparelhos. Nossa transação com a empresa investigada é comercial, como com dezenas de outras país a fora. Não temos compromissos firmados ou assinados com o Consórcio do Nordeste e portanto, nenhuma responsabilidade sobre a quebra de contrato da Hempcare com os governos do Nordeste.


A Biogeoenergy reafirma seu compromisso em ajudar o país a enfrentar esse momento crítico e colabora com as autoridades policiais para dirimir qualquer dúvida que venha a surgir.