A SAGITTA que agora passará a chamar BIOSAGITTA é a nova empresa de desenvolvimento e tecnologia adquirida pelo grupo Geoterra/Biogeoenergy.

A BIOSAGITTA é pioneira na planta de biogás de vinhaça visando a produção de eletricidade. Surgiu em 2008 pela vasta experiência de seu fundador Jorge Vinicius que na época trabalhava no mercado de crédito de carbono. Na busca por novas opções de geração de créditos, ele começou a pesquisar a vinhaça e após vários estudos descobriu que ela não emitia metano algum, porém a vinhaça era na verdade uma ótima opção para geração de energia.

A BIOSAGITTA através de projetos rentáveis e sustentáveis; que trazem benefício energético e ambiental para toda a população, transforma subprodutos de usinas em energia, essa pode ser aproveitada pela própria usina ou por terceiros. Essa biomassa pode gerar energia elétrica ou biometano, que por sua vez pode ser transformado em óleo diesel.

A BIOSAGITTA tem potencial de substituir 100% do óleo diesel que as usinas consomem.
Abaixo imagem da primeira planta instalada.

Comunicado

Recentemente a Biogeoenergy foi alvo de uma operação coordenada pela Polícia Civil da Bahia que investiga a quebra de contrato da empresa Hempcare, que vendeu 300 Ventiladores Pulmonar (Respiradores) para o Consórcio do Nordeste, em um contrato de R$ 48 milhões e supostamente não teria entregue os equipamentos.


Diante deste fato, a Biogeoenergy precisa esclarecer alguns pontos:

A Biogeoenergy não tem e nunca teve contrato firmado com o Consórcio do Nordeste. Nossa empresa desenvolveu um ventilador pulmonar de última geração, único no Brasil, feito atendendo a todas as especificações da Anvisa. Chamado de Respira Brasil, o equipamento passou em todos os testes a que foi submetido e aguarda apenas a autorização do órgão federal para que a produção comece.
É importante destacar aqui que a Hempcare é a única responsável pelo cumprimento ou descumprimento do contrato com o Consórcio do Nordeste uma vez que ela foi quem fechou o negócio com a promessa de entregar equipamentos importados da China. A Biogeoenergy foi procurada posteriormente pela empresa paulista quando esta não conseguiu concretizar a importação.
Nesse momento a Biogeoenergy se comprometeu a vender os respiradores para a Hempcare. O destino desses equipamentos é uma decisão da empresa e não nossa. A Hempcare sempre esteve ciente de nossa situação e do tempo que seria necessário para que os trâmites burocráticos com a Anvisa fossem vencidos para o início da produção e posteriormente a entrega dos aparelhos. Nossa transação com a empresa investigada é comercial, como com dezenas de outras país a fora. Não temos compromissos firmados ou assinados com o Consórcio do Nordeste e portanto, nenhuma responsabilidade sobre a quebra de contrato da Hempcare com os governos do Nordeste.


A Biogeoenergy reafirma seu compromisso em ajudar o país a enfrentar esse momento crítico e colabora com as autoridades policiais para dirimir qualquer dúvida que venha a surgir.