Aconteceu nesta última quinta feira (21/11) na cidade de Matão-SP o 1º Fórum Regional de Resíduos Sólidos.

A iniciativa reuniu 15 cidades da região com objetivo de discutir a melhor forma de se adequar a lei “12305/2010 – Responsabilidades dos municípios e Gestores” relata Marcos Roberto do Nascimento, secretário do meio ambiente de Matão.

Vários especialistas ligados a área palestraram no evento, entre eles Paulo Celso Reis Doutor em Desenvolvimento Sustentável. Mestre em Tecnologia Ambiental e Recursos Hídricos. Especialista em Gestão Ambiental e Ordenamento Territorial. Engenheiro Civil e Engenheiro de Segurança do Trabalho. Professor Adjunto da Universidade de Brasília, aprovado em concurso público em 1998. Coordenador do Laboratório de Segurança Ambiental da Faculdade de Tecnologia da UnB desde 2000. Coordenador da Pós-Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho na Faculdade de Tecnologia da UnB desde 1999, e hoje consultor da BIOGEOENERGY que é especialista em soluções para aproveitamento de RSU.

Comunicado

Recentemente a Biogeoenergy foi alvo de uma operação coordenada pela Polícia Civil da Bahia que investiga a quebra de contrato da empresa Hempcare, que vendeu 300 Ventiladores Pulmonar (Respiradores) para o Consórcio do Nordeste, em um contrato de R$ 48 milhões e supostamente não teria entregue os equipamentos.


Diante deste fato, a Biogeoenergy precisa esclarecer alguns pontos:

A Biogeoenergy não tem e nunca teve contrato firmado com o Consórcio do Nordeste. Nossa empresa desenvolveu um ventilador pulmonar de última geração, único no Brasil, feito atendendo a todas as especificações da Anvisa. Chamado de Respira Brasil, o equipamento passou em todos os testes a que foi submetido e aguarda apenas a autorização do órgão federal para que a produção comece.
É importante destacar aqui que a Hempcare é a única responsável pelo cumprimento ou descumprimento do contrato com o Consórcio do Nordeste uma vez que ela foi quem fechou o negócio com a promessa de entregar equipamentos importados da China. A Biogeoenergy foi procurada posteriormente pela empresa paulista quando esta não conseguiu concretizar a importação.
Nesse momento a Biogeoenergy se comprometeu a vender os respiradores para a Hempcare. O destino desses equipamentos é uma decisão da empresa e não nossa. A Hempcare sempre esteve ciente de nossa situação e do tempo que seria necessário para que os trâmites burocráticos com a Anvisa fossem vencidos para o início da produção e posteriormente a entrega dos aparelhos. Nossa transação com a empresa investigada é comercial, como com dezenas de outras país a fora. Não temos compromissos firmados ou assinados com o Consórcio do Nordeste e portanto, nenhuma responsabilidade sobre a quebra de contrato da Hempcare com os governos do Nordeste.


A Biogeoenergy reafirma seu compromisso em ajudar o país a enfrentar esse momento crítico e colabora com as autoridades policiais para dirimir qualquer dúvida que venha a surgir.